30 de novembro de 2009

Reflexão.....



Obrigada Jesus
Pela paciência de nos esperar
há tantos séculos teimamos
Em não te acompanhar

Hoje, que bom, juntos estamos
Felizes
Por que finalmente
Somos Teus aprendizes

Novos caminhos se abrem
Para nós
Iluminados e serenos
Prontos para nos receber

Para que novas experiências
Possamos viver!
Jesus, ilumina nossos passos,

Abre nossos corações
De pequenos que somos
Um dia chegaremos às alturas
do Infinito

Banhados pela Luz Eterna da
Tua Divina Bondade.

Desejo a todos um feliz aniversário de Jesus, que Ele esteja sempre olhando por nós.

Mensagem psicografada recebida em reunião pública da Caravana Auta de Souza, na Casa das Rosas, 29.11.2009.

Mentora Amália

29 de novembro de 2009




O amor é paciente, é bondoso; o amor não é invejoso, não é arrogante, não se ensoberbece, não é ambicioso, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda ressentimento pelo mal sofrido, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

O verdadeiro amor é isso, é muito mais que apenas dizer Eu te amo, é muito mais que fazer sexo, é saber escutar, saber ponderar, não se deixar levar pelas influências externas.

É sentar e resolver, olhando nos olhos, sentindo cada reação, cada suspiro. Pena é que nem todos saibam resolver suas diferenças assim. Pena.

Um amor tão bom....

Marcello Lopes

26 de novembro de 2009

Selo....

Minha irmã que me apóia e me ajuda nessa encarnação, me deu um presente.

Um selo e uma tarefa que coloco aqui nesse blog por motivos de afeição. Esse foi o meu primeiro blog, o projeto na web que iria/vai virar um livro de poemas.

Por isso, nada mais justo que ser aqui o local para as minhas indicações literárias que mudaram a minha vida ou as minhas opiniões, e a regra além de mencionar os três livros, é repassar o selo, para mais cinco amigos.

Então vamos à tarefa ingrata :

1) Cavalo de Tróia 1

Esse livro conta a história de um grupo de cientistas americanos que descobriram como voltar no tempo,
e dentre 3 datas possíveis para regressar, escolheram a época de Jesus.

Para isso, foi escolhido um oficial da NASA, ateu e fluente em aramaico, língua que a maior parte da população de Jerusalém e Jesus falava e outro oficial que ficará na nave.

Apesar de alguns capítulos chatos destinados à ciência da máquina do tempo, é absurdamente perturbador e emocionante vermos um homem que tinha como objetivos completar a missão sem tomar partido e sem se influenciar por nenhuma das idéias do nazareno, mudar radicalmente quando conhece pessoalmente Jesus e assiste suas pregações.

Passagens impressionantes, tanto no 1° como no 2° livro  :

1) Os americanos constróem em um cajado, uma máquina fotográfica totalmente silenciosa, mas todas as vezes que o oficial tira uma foto de Jesus, este O olha nos olhos e sorri, deixando o americano arrepiado.

2) Após testemunhar um milagre de Jesus, o oficial se acerca do nazareno e o interroga sobre como aconteceu, Jesus coloca suas mãos nos ombros do oficial e diz :

- Tua ciência não explica.

3) Após a ressurreição de Jesus, o oficial toma um susto quando o nazareno atravessa uma parede, e cai no chão totalmente surpreso. O Mestre, estica suas mãos e diz à ele novamente a frase perturbadora :

- Tua ciência não explica.

4) Em determinado momento, Jesus passeia na praia dos pescadores e interrogado pelo oficial, responde-lhe em inglês, chamando-o pelo nome de batismo.

Como as viagens através do tempo não podem ser feitas de modo a nos relacionarmos com os outros, a descrição de Jesus, e a narrativa bem construída prende muito a atenção do leitor.

E por ser um livro de ficção esse foi o que mais me emocionou.

2) A Elegância do Ouriço

Esse livro é um das maiores surpresas literárias, a autora Muriel Barbery consegue retratar de forma coerente diversas classes sociais francesas em um só local, um condomínio de famílias ricas e tradicionais.

Em cada capítulo, a autora vai desfiando as manias, imperfeições dos moradores, hábitos facilmente identificados em qualquer condomínio no planeta.

O livro foca em 2 personagens centrais :

1) Renée, uma zeladora cinquentona, feia e gorda, geralmente invisível para os outros moradores, mas que guarda um segredo, um amor extremado pelas artes e literatura.

2) Paloma, uma adolescente filha de um figurão da política e de uma mãe dondoca, que procura descobrir algum sentido na vida, caso contrário cometerá suicídio no seu aniversário de treze anos.

Ambas, cada qual em seu universo particular, são observadoras refinadas da natureza humana e de suas diversas faces que contemplam o conhecimento, o aprendizado e, às vezes, a sua inutilidade.





3) Cecília Meireles - Vaga Música

Não poderia faltar a obra que me iniciou nos poemas, que me fez chorar e me fez divagar sobre como poucas palavras escritas em um papel podem conter toda uma força única e poderosa.

Não posso e não vou tentar explicar a sua poesia, Cecília foi única, suas palavras encontraram eco durante toda a minha vida, seja ela pessoal ou romântica.

Gosto muito de outros poetas como Quintana, Neruda, Frost, Auden, mas ela foi um marco e um modelo que eu não sigo, apenas venero.






A escolha de outros blogs, eu deixo ao acaso, nem sempre as pessoas que me seguem ou me lêem tem disposição para essa corrente.

Quem quiser que faça a sua lista.




Marcello Lopes

21 de novembro de 2009



Meu mundo é uma página em branco
que aos poucos preencho com
palavras tortas,
de versos que me definem.

Meu mundo é um caminho
repleto de heróis, personagens que só eu ouço.

Nesse mundo, são os meus olhos
que questionam as horas vazias dos dias
transbordando pelos parágrafos.

Letras, vírgulas que seduzem
linhas que coexistem dentro de mim,
meu mundo é um querer sem fim,
querer ler,
querer apreender,
querer viver.

O mundo que eu vivo é uma fantasia
onde as pessoas exalam emoções,
nascem e morrem a cada página virada.

A eterna espera de Godot,
o suspense que dói,
o desfecho que sangra e cicatriza.

Há mundos que eu visito
que se transformam em medo,
um passo em falso rumo à raiva e frustração.

Quando descubro um novo mundo
sinto um gosto de desejo,
de expectativas.

No passado ou no futuro,
o que existe no meu mundo
é apenas o que eu leio.

Marcello Lopes

Singela e humilde homenagem à um grande escritor que sofreu a maior das ironias da vida, a cegueira, e com sua força não deixou isso impedi-lo de fazer o que mais amava, ler e escrever...até o fim da vida, aprendo até hoje com ele, Jorge Luis Borges.

Na foto, ele já estava cego, mas continuava a "ler" de outras formas, escutando seus alunos lendo obras literárias.

20 de novembro de 2009

Bossa Nova - Sigur Rós - Islândia




As coisas acontecem sem explicação,
alívio é não ter que saber do destino
se sentir inebriado com os sons perdidos
do tempo que já se foi.

O caminho só é decodificado quando se esquece dele,
no meio dele se encontra todos os sentimentos do mundo
quase um chamado.

Prometendo paz,
significado e melodias indefiníveis.

As coisas acontecem suavemente
resgatando da escuridão os que
precisam de paz,
acordando do pesadelo
dispersando o caos.

Como o destino
é assustadoramente belo,
há muito tempo se deve ouvir
que a esperança é incomum
nos mistérios que nos cercam.

A vida é intensa,
frágil,
bela,
ingênua
sedutora.

E todas as coisas só acontecem
quando se revela tudo que somos
em momentos que nascem da melodia
das palavras não ditas.

Marcello Lopes
-> A inspiração não escolhe temas, nem hora, atravesso a madrugada cultivando as palavras sábias desse blog que inventa palavras, busca respostas e sintetiza dentro de si a vida.

Isso é Bossa ....Nova ..



Agraciado pela palavra apaixonada,
e banhado pelas águas da tua sabedoria,
permaneço à margem das tuas ondas.

Sempre há o que falar,
cantar,
honrar a vida,
com um novo mergulho em tuas águas.

Entre sussurros e leituras
frutifica em mim o atrevimento
que só o conhecimento
provoca.

Isso é bossa !!!!! Nova....
renascida das margens de um tempo bom.

As palavras são entregues
definidas,
são partes de movimentos e cores
sons e harmonias que existem
em pessoas especiais.

Os sábios discutem
e nós falamos
e você escreve.

Marcello Lopes
Pintura : Two Lovers by Magritte

18 de novembro de 2009

Aqui dentro....

Aqui dentro tudo pulsa,
dói,
sangra.

Fora de mim, transborda
pede espaço,
toca e beija.

Aos poucos me transformo
abraçando o que não me cabe,
soprando pela abertura dos lábios,
um simples sim.

Aqui dentro tudo ressoa,
carrega a expressão do querer,
a revelaçao à flor da pele.

Lá fora,
a paixão leva
o acaso grita
e o tesão impulsiona.

Aqui dentro,
o amor flui com o tempo
no afeto forte,
na paz imensa
criando sonhos e desejos.

Acalenta a idéia das paixões intensas,
vermelhas como sangue,
orgasmos azuis como o céu que nos protege.

Aqui dentro a cautela se cala,
a audácia surge e assume o controle,
levando fogo que brota sem pensar
da boca,
dos olhos,
das mãos.

Lá fora
as palavras pensam o que a mão anseia,
maré de sentimentos que dependendo da luz
se vê ou se perde.

Pelo ar que balança e beija os cabelos
cheira-se uma existência de criações,
expectativas e silêncios.

Lá fora,
um caleidoscópio de faces,
de gente espalhada,
caminhando ou correndo
uma ebulição de um dia inteiro.

Aqui, dentro
protejo minha alma.

Marcello Lopes

15 de novembro de 2009

Palavras



As palavras fervem lentas
no momento em que as idéias
atravessam o corpo até agigantarem
em plena febre temporal.

Por causa delas,
os beijos crepitam
vaporosos,
dominados pelo silêncio que nos atormenta.

Com as palavras
o dia convalesce
repleto de pactos de tristeza
e frustração.

Teu olhar insiste nessas cores,
enlouquecendo na madrugada
me despindo tardiamente.

As palavras cheias
se derramam como lágrimas
pequenas e luminosas preces
no meu olhar vazio.

São elas que me revelam
os reflexos da tua lucidez,
da serena luminosidade
que brilha nas cores e na minha memória.

Teus pés livres,
nostágicos,
dissipam em mim
as palavras ríspidas e imprevistas.

Minha vida vaza nessas palavras
em inúmeros fluxos,
constantemente renovados pelos seus olhos.

Minhas mãos desenham estranhas e poderosas paisagens em teu corpo,
palavras abstratas,
símbolos expostos
dramas contidos em sílabas.

Nas palavras me encontro,
refletem nossos atos,
dois corpos,
um pensamento.

Palavras que se assemelham
na densa formação do pensamento
pressupõe mais que uma vida.

Colho as palavras
depois de semear teu corpo
manifestando em teus pêlos esse estranho desejo,
uma fome pelos teus pensamentos
pela tua boca.

As palavras me queimam
nas imagens do teu corpo,
no sangue que pulsa dos teus seios,
escrevo essas palavras inflamado.

Esse meu amor exulta,
não desiste de lutar,
sangrando e vivendo
amando e escrevendo.

Marcello Lopes
15/11/09

14 de novembro de 2009

Nos vãos da memória
o tempo se mantém irreversível,
consumindo a verdade suprema
de todas as coisas.

O tempo que passa e não volta,
morre tantas vezes nos vãos da memória.

Fomos feitos para lembrarmos
e sermos lembrados,
a dor da ausência não canta
nada nasce entre essas pedras colocadas no passado.

Nos vãos da memória,
choramos ou fazemos chorar
enterramos nossos sonhos
demos adeus às esperanças.

A mão que colhe,
ceifa, cava a terra
tentando sempre esquecer
daquela estrela que não quis nascer.

Nos vãos precisamos velar,
para que a canção não seja esquecida,
sussurramos e rezamos em silêncio
para aqueles que vão.

Nossos corações
entoam um verso
amores perdidos que ainda acreditam no milagre
de se libertarem dos vãos da memória.

Marcello Lopes

5 de novembro de 2009

Voltando...


Uma imensidão de tempo
tentando escrever sobre a tua interminável doçura
descrevê-la para não perdê-la no infinito.

Saboreando-te em cada pensamento
gastando todas as palavras
todas,
tentando dizer-te o quanto gosto de ti.

Folheando os dicionários do sentir
mostrando meu afeto em em cada pequeno gesto.

Tu que me dá vida
e me arrasta para a eternidade do amor.

Marcello Lopes