31 de julho de 2013

# 119





É no seu corpo que empresto a perspectiva de poesia,

a majestade das suas formas me fazem desdobrar em afetos.

Ando sem olhar para nada e devagar tomo posse do seus trejeitos, movo meus desejos e proclamo a sua verdadeira glorificação!!

Neste poema cada parte do seu corpo é portador de uma felicidade poderosa,

a música da vida nos amarra à esperança vibrante e intensa.

Somos opostos que se atraem, que se confrontam entre o orgasmo e o selvagem,

Marcello Lopes