10 de setembro de 2013

# 124



Eu quero ensinar às palavras a gravar emoção na sua pele, e consideraria pairar diante dos seus olhos para deslocar toda essa tristeza para longe da sua vida.

A canção mais linda foi quando eu ouvi a modulação da sua voz pura e cristalina colorindo meu mundo, criando a chama que queima constante minhas mãos, seria loucura sonhar em afagar suas costas?

Quero o terremoto das sensações quando seus lábios tiverem varrido meu corpo, arrastando meus braços pelos lençóis em um perfeito e delicioso naufrágio apaixonado.

Eu dedicaria carícias à seu coração cansado e às suas mãos tão carentes de liberdade, quero o conforto dos momentos de saudade, de florescer dentro de você.

E assim, com a inspiração me contaminando os poros, te encontrando em cada rima, infinito palpitar, vejo nosso futuro tão claro, amanhecendo sob uma chuva clara e sóbria.

Deixo então nossas mãos se encontrarem de novo, e fascinado pelo nascimento de mais um sorriso, deito-me ao seu lado e ausente de palavras, te amo como se não houvesse outro dia.

Marcello Lopes