7 de outubro de 2015

# 150 - Ela




Ao iniciar o dia, pego um dos seus livros de poemas e com um lápis escrevo algumas frases de aprovação, relembrando nosso romance da manhã.

Ah meu poeta!!  Você é um homem que veste o sentimento mais romântico que já conheci, escrevo na última página do livro alguns pálidos rabiscos para eternizar meu amor por você.

Muito do meu silêncio elegante que você conhece vem da falta de palavras para exemplificar o que é tê-lo na minha vida, de vez em quando minha recompensa é mansa pra tanto amor, pra tanto incêndio mas não porque eu não me exalto, mas porque eu queimo suavemente, tenho pudores em revelar meus pensamentos e ao mesmo tempo sua poesia me renova, cada verso é um movimento que minha alma absorve.

Eu me apaixono todos os dias por você, pela sua dignidade, pelos seus erros sinceros, pelos seus comentários tão autênticos.

Colho todos os dias as flores que você me dedica, virtuais ou reais mas jamais indiferentes.

Todos os outros homens foram mero exercício até sua chegada, agora eu sei que é pra valer, todos eles foram transições como diria o velho Mário.

Fico lendo seus poemas e termino afirmando que a realidade de estar com o poeta é melhor sensação de compatibilidade que nosso relacionamento pode ter.

Eu sei que nem sempre sou clara, nem sempre percebo o sutil deslumbre do verso, já me surpreendi com seus elogios fora de lugar, nos momentos mais impróprios, às vezes por mais irritada que eu esteja com você é impossível não se entusiasmar com essa comovente atitude.

Na cama observando você dormindo, percebo que meus gestos, detalhes ocasionais, e até mesmo sorrisos diferentes em meu rosto são reflexos do seu amor, do seu cuidado.

A colorida amizade e o respeito se sobrepõe às mudanças bruscas, em nós há comunhão, não só de sentimentos, mas de direção, sobretudo de ideias.

Não raro vejo amigos que antes divergiam sobre nosso futuro se emocionarem com suas atitudes, transformando o ambiente em tantos sorrisos que quase me cegam.

Hoje de manhã ao acordar seu sorriso me fez mudar as perspectivas do dia, mansamente suas mãos sobre os meus seios causaram retumbante estremecimento, essas palavras são suas meu querido, a poesia que existe em minhas palavras brotam dos seus beijos, das pequenas liberdades que seu amor me proporciona.

Libertação talvez seja destino que essa palavra seja usada quando vinculada a sua arrojada coragem em me revelar, em unir o que eu pensava que era com o que eu sou de verdade. E a partir dessas transformações diárias, esse amor em movimento nos uniu e com suavidade se instalou em nossa casa.

Poetizei a página sem saber meu querido, isso só prova o quão libertário é o poder da poesia, que sem se esconder cria um movimento agudo que penetra no peito e cria romance, paixão, obra prima.

Anos depois daquele nosso encontro seu espírito me reveste de esperança, revela em mim uma mulher totalmente insistente, que resiste e luta pelo que ela acha indispensável, você.

Marcello Lopes